Mídia


estadoTurismo rural ganha versão caseira. Pousadas reúnem bom serviço e sossego. Maioria tem redes na varanda, lareiras e atendimento feito pelos proprietários.

Santo Antônio do Pinhal – Em algumas pousadas rurais de Santo Antônio, o turista encontra atendimento nada impessoal e muito sossego. A maioria das hospedarias tem redes na varanda, lareiras e um proprietário atento pronto para servir bem.

A dona do Recanto das Orquídeas, a japonesa Tereza Awata de 67 anos, por exemplo, está longe de parecer uma empresária. Ela não descansa um só minuto. Seja no galpão de animais ou no orquidário. Tereza cuida da pousada como se fosse sua casa.

Ela cria coelhos, patos, frangos, codornas, e marecos. Mas nenhum dos animais vai para a panela. São apenas para divertir as crianças. “A gente tem muito amor pelos bichos”, explica. Se eu tiver de comer carne, prefiro comprar.

Aprovação – Um dos frequentadores da cidade, advogado Silas D’Avila Silva de 42 anos, aprova essa maneira de recepção. Ele mora em São Sebastião no litoral norte de São Paulo e pleo menos a cadas três meses troca a Serra do Mar pela Serra da Mantiqueira.   O clima e a proximidade com Campos do Jordão seduzem D’Avila, a ponto de fazê-lo deixar sua lancha e o jogo de tênis com os amigos para curtir um pouco da pacata Santo Antônio, na companhia dos dois filhos adolescentes. Lá faz passeios a cavalo e pescarias. Gosto da boa conversa com os moradores. D’Avila não dispensa visitas às plantações de flores, aos apiários e à quitanda Nishimura. Confessa porém que nem sempre abre mão do conforto urbano. “Tenho um lado comodista” (S.R)

dica-paulistaPerto de Campos, longe da confusão

Já é tradição. É só a temperatura começas a cair, que todo o mundo corre para Campos do Jordão, à procura das belas paisagens de inverno e da agitação das ruas, lojas e bares da cidade. O inconveniente é que tudo fica absolutamente lotado e é praticamente impossível encontrar boas e baratas opções de hospedagem. Para solucionar o problema, os paulistanos estão procurando cada vez mais refúgio em cidades próximas à Campos e Dica Paulista foi até Santo Antônio do Pinhal, uma cidadezinha simpática que  fica a 20 minutos de Campos e destaca duas boas opções para você curtir o friozinho numa boa  e ainda se divertir a valer na agitação de Campos do Jordão.

Simplicidade e orquídeas

Simplicidade e muita simpatia na recepção são o ponto alto da Pousada Recanto das orquídeas. Isto sem falar da beleza destas flores que são cuidadosamente cultivadas nas estufas da família Awata, proprietários do sítio que passou a abrigar pequenos apartamentos…

folha-valeTurismo Rural é estratégia adotada por Santo Antônio do Pinhal para crescer.

Na última temporada de inverno, Santo Antônio do Pinhal, recebeu uma média de 15 mil visitantes/mês. O dobro de 1993. O nũmero de pousadas também cresceu: passou de quatro estabelecimentos em 90 para 14 pousadas e 115 quartos em 96. O boom do desenvolvimento do setor turístico tem um nome: Turismo Rural. Importado da Itália, o projeto é pioneiro no Vale do Paraíba e prova que um município não precisa ser uma potência econômica para crescer. Basta uma ação integrada com a comunidade (aulas nas escolas de Santo Antônio garantem a conscientização social) e a estratégia certa.

A fórmula do turismo rural é simples: oferecer ao turista, além do clima, cachoeiras e construções históricas, a vivência do dia-a-dia rural. Através de roteiros pré estabelecidos, visitantes frequentam ou hospedam-se em sítios locais, que oferecem atrações como passeios a cavalo, doces em compota e trilhas ecológicas.

Ao mesmo tempo em que oferecemos uma forma alternativa de lazer, esse tipo de turismo dá ao homem do campo uma fonte de renda extra, combatendo o êxodo rual. Seguimos um conceito de desenvolvimento sustentável, que respeita o meio ambiente, explica a diretora de turismo, Maria Regina Cavenaghi.

Negócio lucrativo

A prefeitura não sabe quantificar os investimentos que entraram na cidade nos últimos dois anos. Mas em comparação simples pode dar uma ideia. No bairro do Renópolis o sitiante Rogério Awata transformou uma granja pouco lucrativa em uma pequena pousada. Investiu R$ 65 mil e está com os finais de semana lotados. Hospedou por três meses Arrigo Barnabé, que inspirou-se no local para criar o seu próximo disco, e acaba de despedir-se do vice consul da Bélgica.

No mesmo bairro, um empresário, que não revela o valor dos investimentos, está erguendo dez chalés, restaurante, piscina parnorâmica, sauna, restaurante padrão quatro estrelas.

Para coordenar o crescimento a prefeitura da cidade está buscando parcerias. Tem o apoio do Senac e do Sebrae, Associação Hoteleira de Campos, Casa Agropecuária de Santo Antônio. “Estamos incrementando nosso calendário de festas e vamos precisar de infra estrutura”, fala Maria Regina.